Como já sabem, venho para Porto Santo há já muitos anos. E como eu, muitas outras pessoas. E é muito engraçado, encontrarmo-nos aqui todos os anos. 

Uns do norte do país, outros do sul, outros do centro e de vários outros pontos do nosso país. E todos os anos cá nos encontramos! 

Em conversas banais, demos por nós a falar de uma algo que após tantos anos de férias no mesmo sítio, deixa muitos a pensar, e que provavelmente tantos de vocês também ponderam. 

Qual a preferência: férias em hotel, ou férias em casa alugada? 

Como em tudo na vida, cada opção tem as suas vantagens e respetivas desvantagens! 

Vários dos nossos amigos que para aqui vêm, também há já alguns anos, já estiveram em ambas as situações. Hotel e casa alugada. O que não falta nesta ilha, são casas para alugar. 

E aqui se levanta a questão. 

É que há muitos que não abdicam da comodidade do hotel. Comodidade, no sentido de não ter nada para fazer e estar literalmente de férias. Sem tratar da casa, sem tratar da roupa, sem fazer comer, sem pensar em refeições e ter tudo à distância de um “basta cheio”. 

Outros, porém… preferem ter esse trabalho de fazer (quase) tudo como em casa, porque defendem que férias é poder ter os horários que lhes der na cabeça, sem estar preso a um pequeno almoço das 8h às 10h ou um buffet com hora marcada, ou um jantar que tem de ser cedo para não esgotar, sem correr para a mesa que todos preferem.

Estar em filas à espera de mesa, para comer comida de restaurante todos os dias, em vez da comidinha de casa a que estamos habituados não é para o estômago de qualquer um. 

No hotel não tem de se arrumar o quarto. Vem alguém fazê-lo. Não há cozinha para arrumar nem louça para lavar. Alguém faz depois. Mas numa casinha, a liberdade é total. Faz-se a cama à hora que se quer, se é que se quer. A loiça pode esperar. As refeições são à hora que o estômago reclama e não quando o horário de buffet impõe! 

Depois há ainda os valores. Pois… os valores. Os hotéis são caros. Tudo incluído mais ainda. Mas não há preocupações e tudo está à disposição. Isso tem um preço, pois claro. 

Uma casa alugada é efetivamente (muito) mais barato. Mas há o trabalho inerente que já aqui adiante. É a contingência dessa opção. 

Não há nada que seja perfeito e, como tudo na vida, há que fazer escolhas. 

Será que vale a pena pagar um valor exorbitante para não ter de se fazer comida ou arrumar a casa? 

Será que vale a pena, nas férias, estar a ter trabalho numa casa quando se pode estar de férias sem qualquer preocupação num hotel? 

Deixo aqui no ar o “debate” e espero o vosso feedback