Uiiiiiiiiiii, que dor

Não há ano que não aconteça a alguém, e por mais que se fale, informe, explique… na hora do acontecimento, a dor é tanta que nunca se sabe o que fazer. Falo-vos de sermos picados no mar! 

Seja peixe aranha, caravela portuguesa, ou outro qualquer… diz quem já passou por isso, que a dor é insuportável. 

Felizmente nunca me aconteceu, mas bem vejo o desespero de quem sai do mar com o pé no ar. 

Também não sou muito entendido, mas vamos lá às informações que leio, pesquiso e que vejo na praia em letras garrafais! 

Diz o protocolo geral que não se deve, em caso nenhum, usar ligaduras, nem água doce, nem vinagre, nem álcool! 

Remover os tentáculos ou algum resquício do bichinho com, imaginem, um cartão multibanco ou de crédito. No fundo, um cartão de plástico. O ideal depois disso é aplicar bicarbonato de sódio misturado com água do mar e aplicar gelo também. 

Mas, se a picadela for de uma caravela portuguesa, o tratamento muda de figura: não se deve colocar ligaduras, deve-se igualmente retirar os tentáculos com o cartão plástico, mas, aqui, o melhor aliado é mesmo o vinagre e, depois, aplicar água quente para aliviar a dor. 

Em qualquer um dos casos convém sempre procurar ajuda médica. 

Como já vos disse, não sou expert na situação, nem tão pouco já passei por isso, mas informação a mais nunca nos fez mal e espero poder ser útil! 

1 comentários em “Uiiiiiiiiiii, que dor

Eu também nunca fui mordida, mas a minha filhota, tinha 6 anitos quando foi mordida na praia da Comporta, na Península de Tróia. Foi ao posto de socorro, mas não deixou fazer nada. Inchou o pé e a perna. Foi um peixe aranha. Maus cuidado com a lua está na lua cheia. Para picadas de vespas ou abelhas – acetona.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *