Em segurança 

Ontem e hoje, na Madeira, no aeroporto se Santa Cruz, ou Cristiano Ronaldo, se preferirem, voltou a viver-se uma situação mais comum do que se pensa e que para muitos é de aflição. 

Os aviões não puderam aterrar por causa dos ventos fortes. 

Santa Cruz, a localização exacta do aeroporto, é uma zona ventosa e principalmente o local onde está a pista do aeroporto, é de ventos cruzados. Acontece várias vezes os aviões, grandes e pequenos, não poderem aterrar e das duas uma: ou voltam para trás, ou fazem um ligeiro desvio e aterram no Porto Santo e, nalguns casos, até regressam ao aeroporto de origem.

Para além de toda a “logística” que isto implica, ou seja, o que fazer aos passageiros, para onde encaminhá-los, saber quando podem voltar a aterrar na ilha grande, etc… há a questão que muita gente levanta: para quem tem medo de andar de avião… estas voltas e mais voltas, são de cortar o coração. 

Este aeroporto é conhecido também por isso… por muitas vezes os pilotos terem de “borregar”. Sim, a expressão é mesmo esta, para quem não sabe. É estranha, mas é mesmo esta: borregar.

Por mim estou à vontade,  não tenho medo, a turbulência até me embala para adormecer, e confio no trabalho dos pilotos. Mas compreendo que para quem tem medo, estas manobras de tentar aterrar, não conseguir, voltar a tentar, voltar a não conseguir e ter de voltar para o local de partida sejam de arrepiar.

Só espero que os ventos acalmem e que os meus colegas, Tânia Ribas de Oliveira e José Pedro Vasconcelos, tenham o seu voo assegurado. Amanhã fazem programa na ilha dourada! 

Bom trabalho! 

 

Foto com direitos de autor. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *