Já não é a primeira vez que aqui vos falo deste drama, e hoje volto a fazê-lo porque é notícia do dia em vários jornais: a obesidade infantil! 

Os números são assustadores e temos de estar conscientes do perigo que isso é para a saúde das nossas crianças. Quer agora, enquanto crescem, quer no futuro de cada um. 

Portugal está entre os 5 países da Europa onde a obesidade infantil é mais elevada. 

O estudo da Organização Mundial de Saúde atribui esta situação ao facto de se ter abandonado a dieta mediterrânea e revela que o problema afeta mais os rapazes que as raparigas. Um em cada dez rapazes de 11 anos é obeso. É uma proporção preocupante. Para além disso, aos 11 anos ainda são os pais que “mandam” no que eles comem. Temos de ser capazes de controlar tudo isto melhor. Pela saúde deles. 

Está provado que uma criança obesa não aprenderá a alimentar-se de uma forma saudável e se tornará num adulto cheio de problemas de saúde. 

A OMS diz que o consumo de frutas e vegetais foi bruscamente diminuído. Também diminuíram o consumo de refrigerantes, mas substituem muitas vezes uma peça de fruta por um pão e a cantina das escolas é rapidamente e muitas vezes trocada por pizzas ou hambúrgueres. 

Para ajudar a esta desgraça, também diminuiu imenso a prática de exercício físico entre os jovens. O sedentarismo toma cada vez mais conta deles. Os gadgets, as gôndolas, os telemóveis…desgraçam a vida dos nossos miúdos! 

Vamos lá combinar e fazer todos um esforço para controlar melhor a paparoca dos nossos filhos, e pô-los a mexer!