Só gostava que num passe de mágica, voltasse a Heidi, o Marco, o velhinho Spectrum e o Jumping Jack. O berlinde, o subbuteo e os carrinhos de rolamentos. 

Conversa de velho? Talvez. Mas por mais que tente entender, nunca ninguém vai conseguir explicar-me o que se passa na cabeça desta malta de agora. Caramba… divertir é uma coisa, magoar acontece em qualquer brincadeira. Agora mutilarem-se e pôr a vida em risco???

Segundo consta, os miúdos, sim, são miúdos, são aliciados por mensagens, algumas de madrugada, para jogarem. São motivados a auto-mutilar-se e até a desafiar a vida. 

Já sabemos que esta geração vive do (e para o) telemóvel. Teremos, nós, pais, de apreender os telemóveis quando vão para a cama e devolvê-los de manhã quando acordam? E será essa medida suficiente? Não será, com certeza. 

Já todos sabemos que como pais, todo o cuidado é pouco e toda a atenção é menos ainda. 

Também sabemos que a vida atarefada, o dia-a-dia sem tempo para tudo e para quase nada, faz muitos de nós pais ausentes. Mas não pode ser. Na era que estamos a viver, isso não é de todo possível. 

Nem que seja um bocadinho por dia, deveríamos sentar-nos com os nossos filhos, saber deles. Saber dos amigos deles. Saber do dia deles, do que fizeram, do que preferem, do que não gostam. No fundo, fazer parte da vida deles de um modo mais intenso, e não apenas dizer que aqueles são os nossos filhos, que andam na escola, e pronto, estão bem. Não dá. Isso é impossível hoje em dia. 

Não estou a dizer que a culpa é dos adolescentes que já foram vítimas deste e de outros jogos, (ou melhor: crime!), nem que a culpa seja dos pais. Na verdade, muitas vezes as coisas passam-nos ao lado sem percebermos. Mas temos de fazer um esforço por estarmos sempre (e cada vez mais) atentos. 

E deveria conseguir encontrar-se a forma de isto acabar de vez. Descobrir os autores de tamanha “estupidez” e impedir que coisas do género andem a circular pelo mundo. 

Se há animal que deveria mesmo entrar em vias de extinção, é esta Baleia Azul. E de vez. 

Gostava que partilhassem aqui a vossa forma de ver esta situação. Pode ser que desta partilha aqui, consigamos alguma luz para o fim deste pesadelo para os nossos jovens! 

Fico à vossa espera!