Hoje em dia parece que há uma aplicação para tudo e, a pensar nisto, fui pesquisar quais seriam as melhores apps para bebés. Eu tenho um fascínio por tudo o que a tecnologia nos pode dar de bom, e agora que tenho um filho bebé é claro que fui ver o que anda a ser feito.

E a Internet não me desiludiu: há centenas de aplicações especialmente desenhadas para pais e bebés. Aliás, olhando para as listas e funções, uma pessoa quase se pergunta como se criavam os bebés antes dos smartphones!

É claro que há medida que vão surgindo novas coisas, parece que as nossas necessidades também aumentam, mas será que não devíamos contrariar essa tendência? Há 30 anos atrás ninguém tinha aplicações para adormecer os bebés e eles dormiam!

Mas por outro lado, nesta pesquisa encontrei apps para bebés muito úteis. Existe uma que nos dá informação sobre como providenciar primeiros-socorros ao bebé, por exemplo. Um pai nunca gosta de pensar nestas possibilidades, mas a verdade também é que estas coisas deviam ser ensinadas na maternidade e não são.

E a quantidade de de apps para deixar dormir os bebés que eu encontrei? Vocês nem imaginam!

A maior parte tem músicas infantis já gravadas, e confesso que isto acho desnecessário. O que é que será melhor para o bebé: ter uma gravação num telemóvel ou estar ao colo de um dos pais enquanto este lhe canta uma música (por muito mal que cante)?

Mas existem algumas que achei mesmo interessantes, porque reproduzem ruídos que ajudam a acalmar os bebés: o som de batimentos cardíacos, da água a correr e o som das ondas do mar.

No fundo, acho que esta questão das apps para bebés é daquelas questões de bom senso pelas quais os pais passam. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra. Com toda a certeza haverá apps muito úteis, mas acho que não devemos chegar ao ponto de deixar que substituam interacções e situações normais.

No fundo, os melhores seres para criar um bebé continuam a ser os papás, não é?

 

Leiam também: