Andarmos informados sobre o que se passa no nosso país e no mundo é muito importante. Mas, sinceramente acho que hoje em dia esta “tarefa” já não é tão divertida como foi entre 1996 e 2010: na altura tínhamos o Contra-Informação e todos os dias nos ríamos às gargalhadas com o que se ia passando neste nosso cantinho à beira-mar plantado.

Aquelas marionetas alguns tão engraçadas já fazem parte da história do nosso entretenimento. É verdade que alguns sketches podiam ser um bocado exagerados, mas este programa só provou que nós sabemos fazer humor em Portugal, e que temos espírito crítico!

Costuma dizer-se que mais vale dizer a verdade a rir, e é verdade! Quem não se riu a bandeiras despregadas com as sátiras inteligentes dos nossos políticos e dos nossos “escândalos” da sociedade? Quem não se lembra das frases famosas “Penso eu de que…” ou “Nunca me engano e raramente tenho dúvidas!”?

O programa era produzido pela Mandala, e, depois de um início tremido na SIC, veio a tornar-se um dos segmentos mais famosos da nossa televisão.

Lembro-me que lá em casa a hora do Contra-Informação era sagrada. É que, a rir, sempre íamos sabendo o que se passava e pensávamos um bocadinho “fora da caixa”.

Fiquei muito triste quando fecharam estes quase 15 anos de riso e informação ao contrário!

Deixo-vos aqui um sketch para matarem as saudades. Qual era a vossa personagem favorita?

 

Leiam também:

 

A imagem foi retirada daqui.