Vocês lembram-se do lançamento do pião? É que eu lembro-me como se fosse hoje: enrolava o cordel à volta do pião e lançava! O mais engraçado era contar os segundos até ele deixar de girar, havia gente que até soprava só para ele se aguentar mais um bocadinho!

O pião é, sem dúvida nenhuma, um dos brinquedos mais emblemáticos da minha infância. Agora temos os jogos de telemóvel e funciona quase tudo à base de videojogos, mas nada substitui os jogos que se jogavam na rua, rodeados de amigos e a ver quem tinha mais habilidade. Ainda me arrepio quando me lembro do pião a girar na palma da mão. Era mesmo assim que se fazia, lembram-se? Enquanto ele estava a rodar no chão, íamos lá com a nossa mão e ele ficava a girar e a fazer umas cócegas do Diabo! A verdade é que, naquela altura, o importante era que não deixasse de rodar.

Vou ter que ser sincero, já não faço um lançamento há muito tempo. Dizem que há coisas que nunca se esquecem, mas tenho algum receio de já não ter a mesma técnica. Talvez volte a praticar para mostrar às minhas miúdas e ao Pedro. E claro que não posso deixar de lhes ensinar a música:

“Eu tenho um pião

Um pião que gira

Eu tenho um pião

Mas não to dou não”

Mais recentemente, houve uma moda de piões mais modernos em formato de desenhos animados: os chamados Beyblades. Era uma coisa muito à frente, até monstros saíam dos piões! Os miúdos brincavam todos com isso, até os metiam a rodar num alguidar, vejam bem! Pelo menos, serviu para sentirmos aquela nostalgia de um dos primeiros brinquedos que tivemos.

Parece que, hoje em dia, os brinquedos não são tão valorizados. Eu ainda me lembro de ver os piões serem feitos à mão! Vocês ainda têm lá algum em casa?

Leiam também: