Todos os pais sabem que ir de férias com uma mulher grávida em final de tempo não é fácil! Não diria que é difícil, mas, definitivamente, não é fácil. Socorro!

Planear umas férias quando se sabe que o bebé pode chegar a qualquer momento é uma grande lição de como ter um plano B preparado… E um plano C, um plano D, e por aí fora até ao Z. Eu não sei se isto é porque já não estou habituado, mas nestes dias, sempre que a Filipa dá algum sinal de desconforto, já começo a ficar com aquele nervosismo de quem tem medo que o bebé nasça à beira da piscina!

É que estar grávida no Verão não deve ser fácil! Por um lado, as mulheres que estão grávidas nesta altura têm sempre aquela desculpa óptima para andarem de sandálias e de vestidos largos, que não as apertam. Mas, por outro, se não é o calor a incomodar, são as pernas inchadas. E se não são as pernas é o cansaço geral e a vontade de dormir.

Estas férias são uma espécie de olimpíadas, com modalidades muito específicas como: corrida para ir buscar um banco para a grávida pousar os pés, escalada ao quarto para ir buscar o leque para abanar a grávida, 100 m de corrida intensíssima assim que ouvimos a grávida suspirar e maratona de ir encontrar a comida fora de época que a grávida tanto deseja.

Na realidade, nesta altura da gravidez, em que o bebé já está quase a chegar, parece que a preocupação nunca se vai embora. Qualquer pequena dor pode ser o tão esperado momento, e nós, enquanto pais, sentimo-nos um bocadinho inúteis, não é?

Se calhar tenho de admitir que sou um bocadinho exagerado e podia preocupar-me menos! Quero sempre saber se está tudo bem e passo a vida a perguntar se é preciso alguma coisa. Na verdade, estou preocupado com o bem-estar de duas pessoas, certo? A preocupação vem a dobrar!

 

Leiam também: